YourThought.eu: Carolina, from Portugal, on a curious Europe, waiting to expand

Summer is the time for sun, fun and reflection on new ideas and projects that may come in our lifes. I met Carolina while visiting the Manuel Cargaleiro High School back in May. Now, Carolina took a moment of her holidays to share with YourThought.eu her opinion about the concept of European identity and, in particular, to our quest-question ‘What does it means to be European?’.

 

 

Who are you? Tell me your name, age, and location? What do you do?
Carolina Costa, 17 years old, student, from Cruz de Pau, Amora.

 

Do you have plans to live or would you like to live outside Portugal? Why?
If I had the opportunity in the future, I would like to live in another country, first, to feel the difference and, second, to become independent in my studies and my life.

 

What do you consider to be an European? And why?
I was born in Portugal, an European country, and so I share with some people the notion of a free, useful, fair and convenient market for the common good.

 

Do you consider yourself only as Portuguese? What makes you (or not) an European?
I’m not only Portuguese. I consider myself to be the heir of various cultures and experiences in the various countries of Europe, and even outside Europe, as I know and studied their history and customs.

 

How would you describe European identity?
Curious, for the moment, and waiting for more opportunities to expand.

 

What does Europe or the European Union mean to you? What are the shared common values ​​most important to you?
Equality, freedom, basic rights of all human beings, regardless of race, religion or sexual orientation.

 

If you could, what would you change? What are the advantages and disadvantages of having a common economic, political and social project among 28 countries?
I believe that too many countries are part of the European Union, which makes that there are many ideas but little communication them. As a result, only the most powerful countries make the important decisions that actually concern a community of countries.

 

Thank you Carolina, for your contribution to the debate! If you wanna send you comments as well, write us emailus@yourthought.eu

 

PT

 

O Verão é um período de sol, diversão e reflexão sobre novas ideias e projetos que possam surgir nas nossas vidas. Conheci a Carolina quando visitei um grupo de estudantes da Escola Secundária Manuel Cargaleiro em Maio. Agora, Carolina reservou um momento das suas férias para partilhar com YourThought.eu a sua opinião sobre o conceito de identidade Europeia e, em particular, para responder à nossa pergunta-missão “O que significa ser Europeu?”. 

 

Quem és tu? Diz-me o teu nome, idade e localidade? O que fazes?

Carolina Costa, 17 anos, estudante, da Cruz de Pau, Amora.

 

Tens planos de morar ou gostavas de morar fora de Portugal? Porquê?

Se tivesse oportunidade, no futuro, gostaria de viver noutro país para, primeiro, sentir a diferença e, segundo, para me tornar independente nos meus estudos e na vida.

 

O que consideras ser um Europeu? E porquê?

Eu nasci em Portugal, um país Europeu, e por isso partilho com algumas pessoas a noção de um mercado livre, utíl, justo e conveniente para o bem comum.

 

Consideras-te somente Português? O que faz de ti (ou não) um Europeu?

Não sou somente Portuguesa. Considero-me herdeira de várias culturas e experiências dos variados países da Europa, e até de fora da Europa, visto que sei e estudei a sua história e os seus costumes.

 

Como descreverias a identidade europeia?

Curiosa, pelo momento, e à espera de mais oportunidades para se expandir.

 

O que significa para ti a Europa ou a União Europeia? Quais são os valores comuns partilhados mais importantes para ti?

Igualdade, liberdade, direitos básicos de todos os seres humanos, independentemente da raça, religião ou orientação sexual.

 

Se pudesses, o que mudavas? Quais são as vantagens e desvantagens de ter um projeto económico, político e social comum entre 28 países?

Considero que demasiados países integram a União Europeia, o que faz com que existam várias ideias mas pouca comunicação entre países. O resultado é que apenas os países mais poderosos tomam as decisões importantes que dizem respeito, na realidade, a uma comunidade de países.

 

Obrigada Carolina pelo seu contributo para o debate! Se quiseres enviar o teu comentário também, escreve-nos emailus@yourthought.eu

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *